[REVIEW] Doctor Who - The Time of The Doctor


ATENÇÃO, CONTÉM SPOILERS

Na última quarta feira(25/12) foi lançado o especial de natal da série britânica Doctor Who, no qual damos adeus a Matt Smith(11th Doctor) no papel do protagonista em uma grande performance de despedida e vemos pela primeira vez o ator Peter Capaldi na pele do 12th Doctor. O episódio se mostrou mais fraco do que seu ultimo especial, mas já era de se esperar dado a perfeição do mesmo, apenas cumpriu o que prometeu. Mas então vamos analisa-lo. Allons-y!

Para começar temos como em quase todas as vezes o Doctor em alguma confusão em algum lugar do universo. Onde em meio a isso recebe um telefonema de sua companheira da vez, Clara Oswald(Jenna Coleman), o que acaba resultando com que ela entre no meio de tal confusão. Com o objetivo de descobrir o que significa o som que esta ecoando através do espaço a partir do planeta desconhecido o qual esta atraindo todos seus maiores inimigos, o Doctor e sua companheira partem para investigar o local que mais tarde se revela sendo Trenzalore, o planeta que em onde ele daria seu ultimo suspiro.

O especial com certeza marca muito bem o fim de uma era. Com diversas cenas bem humoradas e ótimas referências ao longo dele. E até mesmo relacionando comentários famosos feitos fora da série(aliás, ótima maneira de introduzir a careca do Matt Smith).





"E como é o nome dessa dança?"

Fechando todas as pontas soltas criadas desde de o início da 5ª temporada, The Time of the Doctor consegue esclarecer muitas coisas. Como finalmente revelar o que havia no quarto de The God Complex, quais são REALMENTE as regras de regeneração, o que é o silêncio, dentre outras. E ao mesmo tempo criando novas dúvidas. Mas o principal é como Steven Moffat(atual roteirista da série) conseguiu nos comover não apenas no momento da regeneração como o esperado, assim como das outras vezes, e sim também durante grande parte do episódio. Como quando nos apresenta Handles, a cabeça de cyberman que faz um papel de JARVIS para o Doctor, para depois matá-lo fazendo com que suas ultimas palavras fossem o lembrete de que o Doctor deveria colocar o telefone telefone de volta no console da TARDIS. Além de todos os discursos que vão nos preparando para o momento final durante episódio.


Nunca pensei que fosse ficar tão emocionado com a morte de um cyberman.

Outra que se destacou como personagem foi Tasha Lem, a Madre Superiora que acabou transformando sua igreja para um só fim em especifico, impor o silencio sobre a resposta para a pergunta "DOCTOR WHO?" a qual não deveria ser respondida, assim, dando uma conclusão para o Silêncio, a saga que se inciou a um bom tempo atrás. A personagem, a qual mesmo depois de morta continuou tentando impedir com que o pior acontecesse. Nosso protagonista, se encontrando com uma grande decisão nas mãos, libertar ou não os Time Lords, a qual é tão difícil que o Doctor acaba demorando 300 anos para pensar e sem chegar a uma conclusão enquanto foi o novo xerife da cidade, defendendo-a de qualquer ameaça que a cidade Christmas sofresse, lutando contra seus maiores adversários assim como havía sido comentado em The Name of the Doctor. Após passar séculos lutando, o Time Lord acaba se encontrando em um mal estado, morrendo, mas não pelas mãos de um dalek ou um cyberman, e sim de velhice, sem poder se regenerar mais uma vez. Mas graças a Clara que responde a pergunta de maneira inesperada os Time Lords lhe concedem mais um ciclo de regenerações.

Assim damos inicio a cena da regeneração com um discurso contra os daleks vindo do velho 11th. A principio com um explosão realmente exagerada se comparada as outras vezes, o que acaba deixando a cidade em Trenzalore totalmente destruída. Mas a cena de regeneração a qual realmente conta é a ocorre dentro da TARDIS, após a explosão, com o Doctor jovem novamente, só que ainda não com um novo rosto, e se deliciando com peixe empanado e creme de ovos antes de realmente mudar. Nesta cena temos um dos mais belos discursos de toda a série:


"...I will always remember when the Doctor was me."

Como se não bastasse os ninjas cortadores de cebola terem invadido sua casa, Moffat ainda nos mostra a pequena Amy Pond(Karen Gillan) correndo pelo interior da nave com desenhos pendurados por toda parte como uma alucinação para o 11th, do rosto que lhe marcou, o primeiro rosto que aquela versão dele viu, após isso ainda nos resta chorar quando ela crescida desce as escadas para dar um ultimo adeus para seu homem maltrapilho.


"Raggedy man...good night"

Assim, rapidamente, para acabar com o sofrimento, ele  espirra  regenera em Capaldi. O 12º Doctor começa muito bem na série já nos entregando de cara mais uma daquelas frases marcantes pós-regeneração, como "new teeth, that's weird" e "still got legs".


"KIDNEYS!"; "I don't like the color"

E os efeitos colaterais temporários da vez se demonstram extremamente divertidos, como o 12th não reconhecendo Clara ou até mesmo sem se lembrar de como se pilota a TARDIS. Assim damos inicio a uma nova fase da série, dando adeus ao fantástico Matt Smith, que vai deixar saudades em muitos, de qualquer jeito não podemos não gostar do novo protagonista que se mostra com muito energia e animado com o papel.


Obs.: Lembrando que a a nova temporada da série só estréia em setembro de 2014.

Postagens mais visitadas deste blog

As Muitas Versões do DUENDE no Universo Tradicional do Homem-Aranha!

8 Anti-Batman que foram Vilões do Batman antes de ARKHAM KNIGHT

TOP 10 | AS MAIS GOSTOSAS DA DC COMICS