Crítica | Thor: O Mundo Sombrio


 Vou ser bem sincero, minhas expectativas pra esse filme eram BEM baixas, mas eu vou dizer logo uma coisa, a nova aventura do Thor é MUITO boa!!!
 A Marvel pela primeira vez se esforçou pra criar uma história própria do herói e acredite, fez toda diferença!!! Não estamos falando aqui de um Deus que caiu bem numa cidade cinematográfica com meia dúzia de personagens, mas sim um filme grande, que se compara facilmente ao maior filme do estúdio até agora, Os Vingadores.
 O filme começa com um prologo introduzindo o vilão Malekith (Interpretado aqui por um Christopher Eccleston irreconhecível mas com uma baita presença) em uma batalha com os ancestrais de Thor, no caso, essa batalha lembra MUITO batalhas do Senhor dos anéis, no caso, o filme me ganhou já na introdução.



 A história segue então, Asgard comemora uma repentina paz entre os Nove Reinos, porém Malekith volta para buscar um monólito chamado Éter para lançar o universo em sombras, isso faz com que Thor, temendo não ter forças possíveis para não derrotar o cara, se una com o seu irmão, Loki , para deter o maldito... Como você pode perceber, é meio clichê sim, porém, a narrativa balanceada é o principal ponto positivo do filme, por mais que a "coincidência" presencie parte do arco inicial do filme, o equilíbrio de ação/drama/comédia provoca logo uma reviravolta e traz um clima perfeito para um filme de Super-Heróis, Chris Hemsworth coloca aqui o Thor que ele já tinha construído antes, nada de diferente e na verdade, bem estável.
 A Terra perde destaque no filme, mas relaxa que isso é bom, o núcleo de Asgard ganha um destaque bem bacana. Anthony Hopkins mais sereno e aproveitado como Odin, mostra mais aqui que tipo de ator ele é, acrescentando Heimdall, personagem com mais ação no que no filme anterior e  interpretado por Idris Elba,Rene Russo interpreta Frigga, mãe de Thor. Esta ultima surpreende na interpretação mostrando o peso de seu nome. O Grupinho do Thor também está lá, ativo, porém é lamentável ver como o roteiro perdeu a oportunidade de incluir um triangulo amoroso entre Thor, Sif e Jane Foste.
 falando em Jane Foster, poderia falar que a personagem está melhor aqui, mais importante, mas não menos pretensiosa e fracamente construida. Lembrando também da Darcy e do Selvig, que se comportam muito como alivio cômico,  na verdade, Selvig tem seus momentos de brilho, mas a comédia é um ponto de destaque do personagem.
 Loki merce sim uma atenção especial, Tom Hiddleston se mostra mais a vontade como nunca no papel, pode se dizer que o filme se divide quando ele entra de fato no filme, a química entre irmãos que ele constrói com o Chris é algo bem notável, é tão bacana que se torna o espírito do filme dali pra frente.


 Marvel é Marvel, não importa, constrói um filme único do Thor mas ainda mostra que existe todo aquele universo, menções do que já foi passado (e que acontecerão?) estão lá, inclusive uma das melhores piadas são em relação a isso e Stan Lee marca presença como sempre com suas aparições. Possivelmente vocês já sabem a cena pós-crédito, mas não vou revelar aqui, só digo que uma deixou uma ponta incrível pro Guardões da Galáxia e a outra cena poderia muito bem estar antes do crédito, enfim, não prejudicou TANTO assim. 
 Vou logo avisando, o filme tem problemas sim, mas sabe dar volta por cima e o humor, que prejudicou bastante Homem de ferro 3, último filme da Marvel, aqui se torna um deleite e funciona bastante, pelo menos comigo.
 A nova aventura do Thor é um filme que vai agradar o público em geral bastastante, a direção de Alan Taylor fez diferença e encontrou o tom certo pro herói no cinema e deixou plots bem bacana pra continuações.

Postagens mais visitadas deste blog

As Muitas Versões do DUENDE no Universo Tradicional do Homem-Aranha!

8 Anti-Batman que foram Vilões do Batman antes de ARKHAM KNIGHT

TOP 10 | AS MAIS GOSTOSAS DA DC COMICS